642 coisas sobre as quais escrever


Eu tenho tantas coisas pra compartilhar, mas as vezes não consigo encontrar uma forma de transformar determinadas coisas/fatos/histórias em posts e creio que esta lista de "apenas" 642 itens irá me ajudar absurdamente. Então, preparem-se para mais esse desafio que impus a mim mesma, acho que vai ser divertido. Existe um grupo no Facebook com pessoas compartilhando o que já escreveram, além da lista de itens. Lá tudo é explicadinho, quem se interessou é só solicitar a participação. Em todo caso a lista é esta.

Eu não vou seguir a ordem da lista, escreverei em ordem bem aleatória através do sorteie.me, ou escolhendo qual me der na telha. O primeiro já está sendo escrito e estou ficando bastante orgulhosa de mim mesma, quero sair deste bloqueio criativo que reina sobre mim e em breve produzir bastante conteúdo pro bloguito.

Nunca sei por onde começar as coisas, nem a maneira certa de começar, eu apenas começo, as vezes dá certo, outras tantas não dá, mas pelo menos não vou ficar me culpando de não fazer por medo de errar, então vou lá e faço. Se eu parar no meio desse projeto (assim como fiz com tantos outros) tudo bem, o que fica é a vontade de fazer algo legal e diferente. Let's go!


Não repare a bagunça

Olá! Se você está chegando agora ou se já está aqui por algum tempo peço que entre, sente, sinta-se confortável para que possamos conversar melhor, mas por favor não repare a bagunça. Tenho tentado organizar tudo, mas não está fácil, quando uma coisa parece se acertar, outra despenca fazendo a maior sujeira e eu achando que estava tranquila tenho que arrumar a casa de novo.

Devo admitir que as coisas tem melhorado bastante, não tenho do que reclamar, mas não vou me conformar porque estou evitando ao máximo a zona de conforto por mais sedutora que ela seja. E sigo sempre concertando um errinho aqui, outro lá e tentando ficar em paz, comigo mesma e com as pessoas. Muitas mudanças tem acontecido em mim e ao meu redor, mudanças para melhor, estou me redescobrindo a cada dia e gostando do que encontro no meu interior, creio que o nome disso seja "amadurecer", já estava mais do que na hora não é mesmo?

Não que isso vá me deixar mais séria ou algo assim, creio que amadurecer não tenha nada a ver com ficar um adulto chato, mas sim com conhecer-se melhor, descobrir-se, saber quem realmente somos. E ás vezes aquele que descobrimos ser está um pouco confuso, bagunçado e cheio de poeira porque estava lá esquecido no nosso interior. E então passamos a limpar e organizar, jogar fora velhos preconceitos e paradigmas que achávamos que eram os certos, começamos a perceber que nosso verdadeiro eu quer ser mais leve, mais tranquilo e temos que fazer de tudo para manter essa nossa paz interior para evitar que essa poeira volte.

Chega uma fase da nossa vida que precisamos nos conhecer por completo e se for preciso mudar, mantendo nossas qualidades e talvez alguns defeitos também, mas o mais importante é reconhecer quais são eles e saber lidar. Por isso, peço novamente, não repare a bagunça, estou em fase de conhecimento interior, isso talvez leve um tempo, ou talvez leve o resto da vida. Obrigada por ficar.




Juliette Society


Titulo: Juliette Society
Autor: Sasha Grey
Editora: Leya
Páginas: 235
Sinopse: " Se eu te contasse que existe um clube secreto, cujos membros pertencem à classe mais poderosa da sociedade - banqueiros, milionários, magnatas da mídia, CEO's, advogados, autoridades, traficantes de armas, militares condecorados, políticos, oficiais do governo e até mesmo o alto clero da Igreja Católica -, você acreditaria? Este clube se reúne sem regularidade, em um local secreto. Às vezes em locais distantes e às vezes escondidos. Mas jamais duas vezes no mesmo lugar. Normalmente, nem mesmo duas vezes no mesmo fuso horário. E esses encontros, essas pessoas... não vamos enrolar, vamos chamá-las do que são, os Mestres do Universo. Ou o Braço Executivo do Sistema Solar. Então, essas pessoas, os Executivos, usam os encontros como uma válvula de escape do cansativo e estressante negócio de estragar ainda mais o mundo e criar novas maneiras sádicas e diabólicas de torturar, escravizar e empobrecer a população. E o que eles fazem em seu tempo livre, quando querem relaxar? Deveria ser óbvio. Eles fazem sexo".

Sim, a autora do livro é a mesma Sasha que você está imaginando, a famosa atriz de filmes pornôs, que eu particularmente não simpatizo muito (desculpa sociedade). Não, eu nunca vi nenhum filme dela, mas não gosto porque a mídia e os homens principalmente endeusaram ela como símbolo sexual. Ok, ela é um símbolo sexual, literalmente, mas não é um modelo de mulher que eles vão encontrar na vida real. E depois que li o livro simpatizei menos ainda, talvez ela seja boa na cama e nos filmes que fez, mas como escritora deixou muito a desejar.

Comecei ler por curiosidade, mas como eu não gosto de deixar coisas pela metade fui até o fim, não vou dizer que é de todo mal, tem várias referências à filmes, escritores, livros, etc... Ela quer ser culta e achou que talvez escrevendo um livro iria demonstrar isso. Existe quem gosta, claro, talvez porque a conheceu primeiro como atriz, eu como fui conhecê-la como escritora e do primeiro livro não aprovei.

A propaganda do livro diz que ele irá falar sobre uma sociedade secreta de poderosos do mundo que se reúnem para fazer sexo. Sim, realmente fala disso, mas bem pouco, eu achei que teria muito mais detalhes sobre a sociedade em si, mas ela fica enrolando em outras coisas, como a história de vida da personagem principal. E quase todo o livro devaneando cenas de sexo imaginárias que se passam apenas na cabeça da personagem, com detalhes sórdidos, aliás.

Me vi lendo um livro pornô e não um romance erótico como foi classificado. Conta a história de Catherine, uma estudante de cinema que namora com um cara chamado Jack que trabalha demais e não tem tempo pra ela, principalmente para fazer sexo com ela. Ela então se vê frustrada e começa a se interessar por um professor da faculdade, com o qual tem diversas fantasias sexuais que nunca conseguiu realizar. Nesse interesse todo ela descobre que Anna, sua colega de classe teve/tem um caso com esse professor e por incrível que pareça elas se tornam amigas, mas na verdade Catherine só queria saber como ele era e de alguma maneira através de Anna se aproximar dele.

Essa amizade acabou levando Catherine para um outro mundo, e lá ela descobre a Juliette Society, se envolve com pessoas perigosas e poderosas, quase termina o relacionamento com Jack e descobre coisas horríveis sobre certas pessoas. As vezes a trama até me envolveu um pouquinho, mas quando ela ficava tendo putarias mentais já sentia que não tinha nada a ver com o que eu imaginava sobre a história.

Enfim, me decepcionei, mas não me arrependo de ter lido, afinal nem todos os livros lidos serão amados, mas sempre aprendemos algo com eles, no meu caso eu aprendi que não se deve colocar certas expectativas em sinopses e que certos livros não devem ser lidos em público, principalmente em ônibus, quando tem alguém desconhecido sentado ao seu lado que pode estar dando uma olhadinha no conteúdo das páginas sempre que tem a oportunidade.