Veggie Box - Primeira impressão

Através do Blog da Jess eu conheci a empresa Veggie Box, e estou entrando na onda das caixinhas por assinatura, testando algumas pra ver se vale a pena continuar. Essa eu assinei em setembro e recebi a primeira no comecinho de outubro, agora depois de testar todos os produtos decidi vir aqui pra falar um pouquinho sobre eles e sobre a empresa.

A Veggie possui dois tipos de box, o de beleza e o de snacks, eu escolhi o de beleza porque acho que vale mais a pena no sentido de durabilidade dos produtos, ou seja, já que os snacks são de tamanho relativamente pequeno eu comeria tudo muito rápido, já os produtos de beleza eu não comeria durariam muito mais já que eu ainda não adquiri uma rotina para utilizá-los.

A proposta deles é oferecer produtos que são cruetly free, o que quer dizer que não foram testados em animais, não possuem ingredientes provenientes de animais e que nenhuma crueldade animal foi realizada em qualquer dos processos da fabricação do produto, e os snacks são veganos. Eu não sou vegetariana ou vegana, mas simpatizo muito com a causa e penso em um dia ser, contudo acho que não vai ser de repente, é um processo longo e estou começando com alguns hábitos que vão puxando outros e que no fim se torna tão natural que você não sofre nessa transição.

O box de beleza possui de 4 a 7 produtos que podem ser em tamanho de amostra ou plus size, além de um brinde personalizado da Veggie Box. Vamos ver o que veio na minha primeira caixa:


Argila verde e argila rosa ECO & BELA
Eu convivo com argila desde criança, minha mãe usava sempre e eu ficava tipo "pra quê colocar barro na cara mãin?" Aí depois que eu descobri a magia da argila passei a amar. A verde é facial e corporal e a rosa facial e capilar, C A P I L A R gente, nunca tinha visto argila pra por no cabelo, até agora só testei no rosto, mas estou bastante curiosa pra testar no cabelo também.

 Creme hidratante e gomagem corporal FEITO BRASIL
O creme e a gomagem foram os produtos que eu mais gostei, eles têm um cheiro muito bom e que você fica sentindo durante um bom tempo durante o dia. Gostei também do tamanho, é prático para carregar na bolsa e levar pra qualquer lugar.

Sabonete íntimo SAL DA TERRA
Pra ser sincera eu não usava sabonete íntimo, há muita divergência quanto aos benefícios ou malefícios do seu uso, mas resolvi testar e quem sabe me adapte -ou não.

Garrafinha VEGGIE BOX
Eu estava querendo muito uma garrafinha assim para tomar água no trabalho e fiquei muito feliz quando chegou essa no box, maaaas apesar de lavar algumas vezes ainda tem um cheiro muito forte de plástico novo, não consegui usar ainda, acho que vou ter que deixar mais um tempo até esse cheiro sair.

PONTOS POSITIVOS
- Ser cruetly free, não ser testado em animais em nenhum dos processos de fabricação e não possuir ingredientes de origem animal, esse é a principal característica do box e foi principalmente por esse motivo que eu quis fazer essa assinatura porque estou em busca de uma beleza justa e sem crueldade.

- A maioria dos produtos é orgânico e tem fabricação caseira ou em empresas pequenas. Claro, as vezes em alguma edição da box já vi aparecer algumas marcas que tem mais visibilidade no mercado, mas na sua maioria são marcas que eu não conhecia e isso é bom, gosto da ideia de conhecer marcas menores e que são igualmente boas.

- Fator surpresa! A box não tem seus produtos divulgados antes da entrega, o que nos deixa ansiosas por querer saber logo o que vem, acho essa uma boa jogada da empresa, eu amo surpresas.


PONTOS NEGATIVOS
- Preço. Bem, se for comprar separadamente cada item da caixa daria mais ou menos o mesmo valor, fora o frete que seria de cada produto né? Mesmo assim achei um preço bem elevado, mas levando em conta a qualidade dos produtos vale a pena, sem contar que o frete é grátis para 80% do país.

- Demora na entrega. Na verdade nem foi culpa da empresa, eles mandaram na data correta, mas como os Correios estavam em greve demorou bem mais do que o estipulado e me deixou mais ansiosa ainda, espero que a próxima box chegue no tempo prometido.

Vocês já conheciam essa assinatura? O que acharam dessa edição? Eu gostei muito dos produtos e da opção que temos em poder ter um consumo consciente, pensando não só na nossa beleza e bem estar, mas também no meio ambiente e nos animais. Com certeza manterei a assinatura.

Para quem quiser conhecer deixo alguns links da empresa: SITE | FACEBOOK | INSTAGRAM 

Este post não é um publieditorial, não recebi nada para falar do produto e tudo é baseado na minha opinião e experiência com a marca.

Diálogo dos olhos

   Título: Diálogo dos olhos
   Autor: Juan Pablo
   Editora: Chiado
   Páginas: 220
   Sinopse: 
"Coração de espanto,
desenhado pelo silêncio (...) 
cujo canto é mudo,
Pulsa, Vibra, Coração!
Tu és um poema 
e o poema
 o mundo." 
Juan Pablo, nascido na província do Paraná, Brasil, vem mostrar a força do lirismo contemporâneo, num diálogo vivo entre tradição e modernidade em seu livro de estréia aos 21 anos de idade: 
"Mas o mundo é tão grande (...) 
nele não cabe o amor,
e a tristeza é tão grande,
a solidão é tão grande,
não pelo tamanho do mundo, 
não pelo tamanho da tristeza,
mas pelo tamanho do homem." 

A POESIA PREVALECE
Antes de falar sobre este livro lindo de poesia, quero falar sobre seu autor que apesar de ainda não tê-lo conhecido pessoalmente é como se já tivesse, pois ao ler seu livro é como se viajasse para dentro dele descobrindo seu verdadeiro eu traduzido em palavras poéticas.


Juan Pablo é paranaense, mora na mesma cidade onde eu fiz faculdade e por força do destino não nos conhecemos na época em que eu morava lá, mas de uma maneira ou de outra fiquei sabendo da existência dele e do seu livro através de uma rede social e de amigos em comum.

O que tornou Juan especial para mim foi o fato dele não deixar a poesia morrer e fazer ela ressurgir mais jovem e bonita. Confesso que não tenho um conhecimento muito grande desse gênero literário, mas sempre tive curiosidade e a poesia moderna me encanta porque consigo entendê-la melhor e como a poesia é tudo aquilo que comove, inspira, sensibiliza e desperta sentimentos posso dizer que vivo em um verso.


Diálogo dos olhos foi um encanto, um livro que você devora rapidamente e mergulha em cada palavra. Esse foi o primeiro livro que eu dobrei as páginas para marcar, risquei, fiz anotações, sublinhei pedaços que me chamaram mais a atenção. Antes eu tinha receio de fazer isso por medo de estragar o livro e despersonalizar a criação, mas foi um pedido do próprio autor para que eu fizesse isso, o que me encorajou e eu acabei gostando muito dessa experiência, me trouxe mais intimidade com o livro.


Poesia é difícil de resenhar, a magia está em cada um interpretar da sua maneira e relacionar com algo ou alguém da sua vida e a verdade é que eu não fiz este post para falar do que o livro se trata, mas sim para falar da minha impressão sobre ele e mostrar as partes que mais me tocaram. E pra divulgar que o interior também possui obras maravilhosas que merecem reconhecimento. Fica aqui também todo o meu sentimento de apoio ao Juan para que ele supere logo alguns problemas de saúde que teve ultimamente. Tenho certeza que sua poesia já está eternizada no coração de todos que te conhecem e que te apoiam de alguma maneira. Força menino!

As minhas melhores lembranças da infância

Antes de começar a falar sobre quando eu era a little Ana vou explicar esse post: Quando eu estava quase desistindo do blog, da blogosfera, do universo e tudo mais eis que surge na minha vida (através do blog da Gisela) um grupo no Facebook chamado As migas, pensei que seria só mais um grupo de divulgação de blogs, o que eu acho bem chatinho diga-se de passagem, mas quando eu vi a quantidade de pessoas legais que estavam lá decidi entrar também (porque também sou uma pessoa legal né?) e foi a melhor coisa que poderia ter feito porque realmente estamos nos tornando migxs lá. Um monte de blogueiros bacanas fazendo um projeto bacana, acho que você também deveria conhecer, que tal? Só clicar > aqui <. Além de termos essa interação lá no Facebook, também temos as blogagens coletivas de cada mês, agora em outubro temos três opções e eu escolhi fazer sobre:

 AS MINHAS MELHORES LEMBRANÇAS DA INFÂNCIA



A natureza - Eu fui filha única até os 7 anos e morávamos em um sítio, então minha infância no geral foi bastante desprovida de irmãozinhos/amiguinhos para brincar, o que eu conseguia lidar bem, visto que tinha várias opções de diversão, entre elas correr atrás das galinhas, andar a cavalo com meu papis, admirar as vaquinhas quando iam beber água no tanque perto de casa, abraçar os cachorros, puxar o rabo dos gatinios, correr pelo campo, cultivar plantinhas com a mamis. Ou seja, minha infância teve muito mato e bicho envolvido, o que foi maravilhoso porque aprendi a amar muito tudo isso!

A casa dos avós e tios - Essa vida de filha única tornava qualquer encontro com outras crianças um evento, principalmente quando era na casa dos meus avós maternos, onde me encontrava com meus primos e todos os tipos de parentes, era uma tradição de todo final/início de ano que infelizmente acabou depois que minha vovó faleceu. Uma das lembranças que eu mais gosto é da horta da minha vó, eu amava ir lá colher morangos de balde, porque tinha muito morango e depois comê-los todos <3 Também tenho ótimas recordações da casa dos tios, principalmente dos que cuidavam de mim pra minha mãe trabalhar, eu gostava tanto de lá que quando minha mãe chegava pra me buscar eu não queria ir embora, fazia birra e queria levar minha prima junto, bons tempos.

Festas de aniversário - Como eu disse, era difícil me encontrar com outras crianças e as minhas festas de aniversário era uma dessas ocasiões onde a casa ficava cheia de pessoinhas pequenas e era muito divertido, isso aconteceu até os meus 7 anos, depois disso só fui ter festa de aniversário na faculdade hahaha.

A união - O que eu mais gosto de lembrar é de como minha família era unida, não que agora não seja, ainda somos muito próximos, mas naquela época parecia que era tudo tão mais fácil. Me emociona lembrar todas as fases, todas as barreiras que enfrentamos juntos e de como tudo se fortaleceu com o nascimento das minhas irmãs.

A conclusão que eu tiro disso tudo, dessas recordações, é que eu fui uma criança muito feliz, tive poucos amigos, mas muito amor dos meus pais, das minhas irmãs e dos meus parentes mais próximos. Enquanto escrevia este post lembrei de tanta coisa linda que até me emocionei, como por exemplo da minha mãe me ensinando a ler e a escrever, tanto em casa quanto na escola porque ela foi literalmente minha primeira professora, do tombo que caí do cavalo com meu pai e do quanto rimos disso depois, do anseio em ter logo irmãos e da alegria quando nasceram, da felicidade em passear no nosso fusca vermelho ou na nossa camionete boiadeira cor de céu, dos nomes que eu dava para as vaquinhas, de dizer pro meu primo "quero pó de chucunhate Diano" (me referindo ao Nescau que eu gostava de comer puro e que meu primo Adriano ficava regulando hahaha), de falar pra todo mundo que quando eu crescesse queria ser cantora e "dançora" (dançarina, no caso, o que obviamente não aconteceu) e do quanto eu era curiosa, perguntava tanto sobre tudo que as pessoas chegavam a se irritar com os meus porquês, já tinha o dom para a comunicação.

Eu tenho muitas outras fotos dessa época, mas estão todas na casa dos meus pais e essas aí de cima são as únicas que tenho digitalizadas, mas são o que bastam para mostrar toda a minha fofurice procêis. Me fez muito bem relembrar essas coisas lindas da infância, felizmente a maioria desses recuerdos são bons e espero ter ótima memória pra contar tudo isso para meus futuros filhos, netos, bisnetos e se por acaso minha memória ficar fraquinha espero que eles vejam meu blog.