Tears dry on their own

Ou, como Amy Winehouse me ajudou a passar por uma crise de ansiedade.

Ontem era domingo de Páscoa e eu ao contrário de todas as outras Páscoas, não passei com a minha família e talvez por esse motivo aliado à TPM (que não amenizou nem com a excessiva quantidade de chocolate ingerida) estive bastante triste, principalmente a noite, pior maneira de se passar esse dia tão especial. E além disso, era domingo e domingo é um dos piores dias da semana pra mim, emocionalmente falando, ganha até da mal falada segunda-feira. Domingo é um dia em que você dorme sabendo que amanhã quando abrir os olhos terá que se levantar e enfrentar a vida, que você dorme pensando em tudo o que tem de fazer (e essa semana particularmente é bastante coisa) e planeja tudo e acha que não vai dar e aí chega aquela velha amiga chamada ansiedade, não que ela precise de motivos para chegar, mas se tiver algum ela com certeza fica bem mais insuportável.

E no meio dessa angústia, pra colocar mais lenha na fogueira da bad me deu vontade de ouvir Amy. Já faz um tempo que assisti o documentário dela e desde então evitei ouvir as músicas porque me faziam lembrar da história, do significado das letras, de todo aquele monte de shit que foi a vida dessa pobre menina. Mas ontem eu ouvi e o que achei que seria um gatilho para ficar pior, foi na verdade algo positivo pra mim, talvez escolhi as músicas "certas" ou consegui fazer uma interpretação mais voltada para a minha vida neste momento, mas foi algo bom, não sei explicar o motivo.

Talvez porque tenha sido um tapa na cara, algo me dizendo que a minha vida, os meus problemas são bem mais amenos do que os problemas do mundo (não que sejam menos importantes, mas eu posso resolver) e que independente de qualquer coisa, tudo fica bem no final e que não importa o quanto você chore, as lágrimas secam por conta própria.

Thank you, Amy <3

Newsletters do amor


Há quem diga que os blogs acabaram, que ninguém mais os lê e que ficaram obsoletos. Eu digo que eles não só estão vivinhos (mesmo que respirando por aparelhos), mas que deram origem a outro tipo de comunicação, outro tipo de diário virtual muito mais intimista e acolhedor: as newsletters. 

Sabe quando você lê algum texto que se identifica tanto e ao final pensa: "nossa, parece até que fui eu quem escreveu isso"? Já me aconteceu diversas vezes lendo algumas newsletters. Porque mais do que um blog, na news parece que vai mais alma, mais intimidade, mais amor. Por isso gostaria de deixar aqui algumas indicações de newsletters que tocam meu coração e que me sinto abraçada ao lê-las:

 - Drops: A Nath coloca tanto carinho nas news dela que parece estar conversando pessoalmente contigo, é tanto detalhe tão bem pensado que me deixa muito calma e tranquila após receber, amo tudo o que ela faz!

 - Leia Brasileiros: Nesta newsletter, o Giovanni Arceno nos presenteia todos os dias com um trecho diferente de alguma obra de literatura nacional, incentivando assim a leitura dos livros brasileiros, clássicos ou não. É cada coisa maravilhosa que dá vontade de sair lendo tudo.

 - Me deu na telha: Aqui, a Analu nos mostra um pouco do seu mundo e tudo o mais que der na telha e é tudo maravilhoso, inclusive quero conhecê-la!

 - Meu coração é um nervo exposto: A Odhara me parece tão intensa e tão leve ao mesmo tempo, dá uma vontade de abraçar e ser amiga dela pra sempre.

 - No recreio: Anna Vitória foi quem me iniciou no mundo das newsletters, após ela anunciar que não ia mais publicar no blog dela que eu tanto amo, mas não nos deixou órfãs e criou uma newsletter para continuar a dividir sua vida com a gente. Obrigada Anna, amei este novo mundo, quero andar contigo no recreio por muito tempo ainda.

 - Natália Utikava: Natália é nutricionista e vegetariana, assim como eu, e na news ela envia várias dicas sobre esse estilo de alimentação e tem me ajudado bastante nas minhas escolhas.

 - Outra cozinha: A Carla nos fala sobre cozinhar com afeto, além de também ser vegetariana, ela nos mostra que comida é só uma desculpa pra falar das coisas que mantêm a gente vivo.

 - Valkirias: Valkirias é um site sobre cultura pop, feito por mulheres e para mulheres que discute música, cinema, tv, literatura e games e além do site também possuem uma newsletter que é mais como uma conversa mesmo, sempre com assuntos bastante pertinentes.

Essas são as news que no momento estou apaixonada. Gostaria de mais indicações, se alguém tiver vou agradecer muito.