menu
31 de dez de 2017

A famigerada retrospectiva

Final de ano é aquela mesma história de recordar o que aconteceu, fazer um balanço, traçar novas metas, todo esse clichêzão que a gente ama. Há quem diga que nada muda, mas eu ainda teimo em acreditar naquele sentimentozinho de recomeço e esperança em coisas melhores que toda troca de ano traz. E do fundo do meu coração quero que essa esperança não seja em vão porque 2017 foi um ano difícil, aqui na minha vidinha particular, no nosso país (que só um milagre nos resta) e tenho certeza que pra todo mundo não foi um ano fácil, parece que a tendência é só piorar, mas seguimos esperando que 2018 seja um pouco mais ameno e que as merdas aconteçam em uma escala menor.

Foi um ano rude, porém são nesses momentos de crise (política, existencial, financeira, etc) que a gente aprende muito mais do que aprenderia em um momento tranquilo e calmo de sombra e água fresca, não é mesmo? E eu posso dizer que aprendi demais neste ano e me descobri mais forte do que imaginava, amadureci e consegui me enxergar entrando na vida adulta de verdade (porém sem esquecer que ainda sou um nenê), isso com certeza foi um processo de anos, mas foi em 2017 que aprendi a olhar melhor e mais profundamente pra dentro de mim mesma e me entender um pouco mais, saber dos meus verdadeiros anseios e prioridades e a deixar pra trás o que não me serve mais, literal e metaforicamente falando. Algumas coisas boas que aconteceram comigo esse ano ajudaram muito nesse processo de amadurecimento e gostaria de destacar algumas:

 - Em janeiro viajei com a minha família pra Aparecida, foi o terceiro ano consecutivo dessa viagem linda que além do significado religioso em si, tem uma importância muito grande pra mim porque na maioria do ano eu fico distante deles e esse é um momento de união e serve muito pra matar a saudade.

 - Em janeiro também, mais especificamente no dia 26 eu decidi que iria parar de comer carne definitivamente e foi uma das melhores escolhas da minha vida! Ainda estou aprendendo muito com essa decisão, muitas receitinhas novas, conhecendo pessoas que compartilham da mesma escolha. Eu sei que não vou conseguir mudar o mundo, mas posso tentar mudar a minha realidade e isso já é uma grande coisa. Além disso me tornei voluntária da ONG que ajuda a dar uma condição mais digna para os animais aqui da cidade onde moro.

 - Meu cabelo já foi do preto pro rosa e do rosa pro preto de novo porque a gente não se decide e a vida é muito curta pra ter cabelo de uma cor só. Eu amei a experiência, mas dá muito trabalho e despende muito tempo e dinheiro. Em 2018 vou deixar o cabelin descansar e crescer (quero ver eu guentar), depois que ele se recuperar podemos fazer mais algumas ~experiências~.

 - Reencontrei pessoas muito importantes pra mim, fui na formatura da Evelen, recebi a visita da Mai, conseguimos reunir a Gangue da Paulista inteira e isso foi maravilhoso porque viver pessoas era uma das minhas metas do ano.

- Tive uma perda muito difícil que foi minha Khalessi ter sumido do nada e nunca mais ter aparecido, ainda dói, mas Deusinho é bom e fui presenteada com a Hope que resgatei do abandono e ela trouxe mais nenêins pra minha vida, o meu amor pelos gatos é algo que não sei explicar de tão grande.

- Terminei as matérias da minha pós, estudá-las em si não foi tão difícil porque é uma área que gosto muito (saúde pública), a parte ruim foi que por ser à distância eu tinha que viajar muito para fazer as provas, porém ao mesmo tempo que era cansativo também era bom porque eu pude ver minha família e amigos com mais frequência. Agora falta o TCC, mas isso é pauta para 2018.

 - Apesar de parecer ter muita coisa pra fazer com o trabalho e a pós ao mesmo tempo, eu consegui ler muitos livros, ver muitos filmes e séries e ouvir muita música, incrivelmente mais do que em 2016 que eu aparentemente tive mais tempo livre. É aquele negócio de organização que tem funcionado muito bem pelo visto. Eu li TODOS OS LIVROS DA SAGA HARRY POTTER em menos de 6 meses e ao total foram 12 livros lidos no ano, pode parecer pouco, mas eu tô bem feliz. Devido às minhas viagens também fui muito ao cinema (aproveitar que sou estudante novamente e pago meia), com certeza o melhor filme do ano foi Mulher Maravilha! Pra ver a lista de tudo isso dá uma olhada na minha estante e no meu ispoitifai.

 - Entrei na vibe do minimalismo e que coisa mais gostosinha meus amigos, é tão lindo entender o que você realmente precisa e se livrar dos excessos, destralhar, deixar ir... e como consequência viver mais leve e com menos preocupações, outra coisa boa que ter menos me trouxe foi economia, claro que não resolveu todos os meus problemas, mas consegui quitar todas as minhas dívidas e me fez criar mais consciência na hora de comprar.

 - Comecei academia, larguei academia, sinto falta da academia. Tenho planos de voltar? Claro que tenho, 2018 tá aí pra isso.

 - Criei uma newsletter que está entregue às traças, porém é um formato que eu achei tão acolhedor e gostosinho de escrever, veremos qual é o futuro dela. Além disso mudei e desmudei várias vezes o layout aqui do blog porque assim como o cabelo a vida é muito curta pra ter um layout só. E gente!!!! Em 2017 o BEDA ACONTECEU! Sinto muito orgulho de mim mesma e de todo mundo que participou dessa cilada coisa linda que foi blogar todos os dias no mês de agosto. Teve ressaca pós BEDA e eu meio que não quis mais saber do blog? Teve sim, mas tá tudo bem porque é a vida. Já adianto que ano que vem talvez não tenha BEDA aqui nesse bloguinho, mas se não rolar por aqui, vou amar acompanhar as amigas tudo.

 - Além da pós também viajei algumas vezes à trabalho e conheci mais um estado brasileiro, a linda e Santa Catarina, agora só faltam mais 23 estados pra eu conhecer (rindo de nervoso porque queria viajar muito mais).

 - Eu vi o mar! Não sou uma pessoa da praia, eu nem sei nadar, aliás. Mas ver aquela imensidão de água salgada ao mesmo tempo que me bota um medo danado me trás uma paz inexplicável, comecei a ver o mar com outros olhos depois de ler os textos da Bruna Waitman.

Escrevi me expus demais, mas queria muito deixar registradas essas coisinhas que fizeram parte do meu ano e que não são nem metade do que eu vivi, mas que me ajudaram muito a sobreviver nesse ano tão turbulento e louco que foi 2017. Espero chegar viva ao final de 2018 e fazer novamente essa espécie de retrospectiva das coisas boas porque é só isso mesmo que interessa, as coisas ruins, essas podem ficar no passado mesmo. 

Obrigada por ler tudo e por estar em algum momento neste blog, no meu mundinho e participar  de alguma forma desse circo louco que é viver.

Vejo vocês ano que vem.

2 comentários:

  1. Hey! Feliz 2018! Amei conhecer um pouco do seu ano que passou e esotu aqui para ler tudo que virá em 2018. Beijos.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial